Restaurante Beira Rio

Blog

piracema-01

A Origem Do Dia Da Piracema

Posted on

Por Roberto Bragagnollo, via Facebook

CACHOEIRA DE EMAS É O MAIOR BERÇÁRIO DE ÁGUA DOCE DO ESTADO DE SÃO PAULO

Pirassununga é o único município brasileiro que celebra com feriado um dos mais belos espetáculos da natureza, a piracema. Isso ocorre desde o ano de 1967, por iniciativa do prefeito Fausto Victorelli, que instituiu, por meio de um decreto, o Dia da Piracema. A piracema era também conhecida como a “rodada dos peixes”.

Em Cachoeira de Emas, essa história teve início faz cerca de 90 anos, a partir de uma manifestação de fé que os moradores daquele pequeno povoado faziam todos os anos no dia 8 de dezembro, consagrado à Nossa Senhora Imaculada Conceição, a padroeira do lugar. Se na capelinha de pau a pique louvavam a santa, ali, bem ao lado, nas corredeiras do rio Mogi-Guaçú, um espetáculo chamava a atenção de todos: a subida dos cardumes saltando por entre as pedras da topava. Ao fim das rezas, não havia quem não se maravilhasse com aquilo tudo.

Boca a boca a notícia se espalhou. A cada ano, no dia 8 de dezembro, fieis e curiosos vinham da cidade e de lugares cada vez mais distantes, alguns para rezar, outros apenas para contemplar a “rodada”. Havia tantos dourados e curimbatás, que esses peixes eram facilmente capturados com as mãos ou sacos de estopa. Com um simples guarda-chuva aberto, nas proximidades da barragem, era possível “fisgar” belos exemplares. Com o passar dos anos, aquela pequena mobilização em torno da fé de seus moradores, deu a Cachoeira de Emas a fama de um dos mais bonitos recantos turísticos do interior paulista.

PIRACEMA TEM DIA SÓ EM PIRASSUNUNGA
No calendário oficial do país não existe o Dia Nacional da Piracema, mesmo porque ela não ocorre num dia pré-determinado. A piracema é o período do ano – de outubro a março – no qual os peixes sobem os rios até suas nascentes para desovar.

A instituição do Dia da Piracema inseriu Cachoeira de Emas no cenário turístico de Estado de São Paulo. Na prática, foi o primeiro ato oficial a enxergar o turismo como uma de nossas vocações. Em toda a sua extensão, da nascente em Minas Gerais até desembocar no rio Grande, é em Cachoeira de Emas que o rio Mogi-Guaçu tem o seu principal ponto turístico. Ali, o espetáculo da subida dos peixes tem a sua mais extraordinária e exuberante vitrine, aos olhares dos milhares de turistas, que todos os anos visitam nosso principal polo turístico.

Lamentavelmente, a poluição empobreceu a vida no rio, prejudicando, quantitativa e qualitativamente, a essência e a beleza desse espetáculo, no mesmo local onde, no ano de 1625, os índios quando aqui chegaram identificaram como “lugar onde o peixe ronca, faz barulho, rumoreja”.

FESTA DA PIRACEMA
Ao longo desses anos, na visão e no interesse de cada governante, a Festa da Piracema vem sendo marcada por inúmeros eventos.

Nos anos de 1960, a “Festa das Nações”, que era realizada em frente à Escola “Eloy Chaves”, marcou época. Shows musicais, competições de caiaque, plantio de árvores, repovoamento de alevinos, entre outras ações, também ocorreram em diferentes épocas. E, mais recentemente, a FENACEMA – Festa Nacional da Piracema – com recinto fechado e sem a cobrança de ingressos, trouxe um novo conceito de entretenimento ao introduzir o festival gastronômico com ênfase ao peixe, destacando pratos típicos de diversas regiões brasileiras, parque de diversões, shows com grandes nomes da música brasileira, entre outros atrativos.

O evento também incluiu o “Festival Folclórico”, a “Parada da Piracema”, com o desfile das famílias pioneiras que chegaram ao distrito, alunos da EE “Eloy Chaves”, pescadores da Colônia Z-25 de Cachoeira de Emas e a “Festa a Iemanjá”, cuja devoção no sincretismo refere-se a Nossa Senhora Conceição Aparecida, também festejada no dia 8 de dezembro.

Infelizmente, por razões orçamentárias características de final de ano, quando as verbas se esgotam, a Festa Nacional da Piracema acabou perdendo algumas de suas principais particularidades.

TRADIÇÃO DE FÉ E TURISMO
A celebração da padroeira Nossa Senhora Imaculada Conceição continua sendo um dos mais importantes acontecimentos da comunidade. No dia 8 de dezembro acontece todos os anos a Procissão Fluvial, que vem da cidade de Porto Ferreira conduzindo a imagem da padroeira até a “prainha” de Cachoeira de Emas, seguida de missa campal na capelinha histórica.

Nos restaurantes, bares e chalés os turistas saboreiam uma das mais deliciosas peixadas. A vitrine do artesanato local e uma grande diversidade de produtos estão à disposição dos visitantes no Centro Comercial “Eunice Rosa”. Tem também os passeios de barco, onde os visitantes têm a chance de conhecer os ranchos pesqueiros e o pouco do que restou da mata ciliar.

Muito ainda há que ser feito no sentido de dotar Cachoeira de Emas, nosso principal polo turístico, de toda infraestrutura necessária, capaz de acolher, acomodar e entreter, com encantamento e profissionalismo, todos aqueles que nos visitam, seja durante a Festa da Piracema ou em qualquer época do ano. Cada governo luta para fazer a sua melhor parte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *